Como obter um design ergonómico numa Farmácia?

O design, enquanto disciplina interveniente na composição arquitetónica, deverá procurar ser funcional, inclusivo e particularmente ergonómico no que concerne ao ambiente espacial de uma farmácia comunitária.

Ainda que a ergonomia do espaço na perspectiva do utilizador-cliente seja seja fundamental, a verdade é que esta será sobretudo relevante no que concerne à atividade dos seus funcionários, desde logo procurando verter em desenho o exercício das suas funções de modo a torna-las mais cómodas, ágeis e sem prejuízo para a sua saúde e bem-estar.

Para tal, será fundamental analisar o estado atual da sua farmácia, começando desde logo por procurar compreender a rotina diária da sua farmácia, desde logo na perspetiva do atendimento, da receção de mercadorias, na administração, etc.

A compreensão da rotina laboral é parte fundamental para transmitir ao projetista os pontos de especial relevância ergonómica. Tendo adquirido este conhecimento, encontram-se reunidas as ferramentas que poderão incutir novos desafios potencializadores da ergonomia do espaço, como por exemplo o re-posicionamento estratégico de ecrãs, a reformulação da altura dos balcões de atendimento e estantes, o correto dimensionamento de percursos frequentes e do espaço de conferência e armazém, entre outros aspectos particulares de cada espaço.

 

 

Partilha este artigo: